Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

riscos_e_rabiscos

.

.

O Mundo contra mim.

Depois de um dia de alguma bonança em que fiquei em casa, embora a trabalhar de forma mais calma (e fiz muita coisa!), saio à rua para enfrentar a vida e o mundo.

 

Precisava de umas fotocópias para adiantar mais trabalho, por isso peguei nos livros e fui até à papelaria. Enquanto agarrava na carteira e chave, ponderei em arrumar tudo aquilo que precisava de levar para a escola hoje mas acabei por não o fazer. Afinal a papelaria é ao cimo da rua e as fotocópias eram poucas.

 

Subi a rua contra a ventanosca que se fazia sentir, e entrei na loja. Disse à senhora que precisava de fotocópias e disse-lhe quais eram as páginas. A senhora começou a tirar as 8 cópias que lhe pedi e… Oh my God! A fotocopiadora era do tempo da maria caxuxa! Primeiro que imprimisse uma cópia, dava para ir ao Algarve e vir! Não fiz outra coisa senão estar a olhar para o relógio e a dizer a mim própria”calma… calma, Pepper”. Sabem quanto tempo levei à espera das fotocópias? T-R-I-N-T-A minutos! Sim, leram bem. Quase me deu duas coisinhas más pois hoje é o meu pior dia da semana e em que os minutinhos estão todos contados.

 

Vim para casa mais do que arrependida de não ter arrumado logo tudo o que tinha de levar para a escola. Jamais imaginei que perderia tanto tempo nas fotocópias, afinal era a primeira vez que lá ia (provavelmente a última).

 

Já saí um bocadinho atrasada de casa. E se eu estava atrasada os autocarros ainda estavam mais. Eu acho que devia estar tipo personagem da BD, com um balão de fala sobre a cabeça cheio de palavrões e insultos.

 

Finalmente aparece um autocarro! Fui a primeira a entrar. Mas ia logo dando um espalhanço pois o autocarro não estava rebaixado e tive que levantar o joelho quase até ao nariz para conseguir por o pé lá dentro e entrar. E o estúpido do motorista ainda se riu! Assim que me sento, trás!, cai-me a mala da escola no chão fazendo um bruta estardalhaço. Fokas!

 

O autocarro arranca e assim que passa a segunda paragem a seguir à minha, foi travada pelo camião que anda a recolher os lixos dos ecopontos. Comecei a deitar fumo pelas orelhas… mas não tive outro remédio senão esperar a eternidade dos 10 minutos que levou.

 

Ultrapassa esta situação, começo a perceber que o colega-que-vinha-a-falar-com-o-motorista não era outra coisa senão um empata. E ou foi impressão minha ou o motorista estava a dar graxa ao cágado e a gostar da conversa. Resultado: íamos tão depressa, mas tão depressa, que fomos ultrapassados por um bando de caracóis!!!

 

Mas o pior ainda estava para acontecer… Passámos por um autocarro da empresa concorrente e o motorista era conhecido dos dois pares de jarras (motorista e amigo). E não é que o motorista do meu autocarro teve o DESCARAMENTO de parar e abrir a porta para que o “empata” trocasse dois dedos de conversa?!?!?!

 

Desatámos todos aos gritos a proferir impropérios. É que a porra do autocarro já estava ultra-hiper-mega atrasado. E isto para mim foi uma pescadinha de rabo na boca: perdi o autocarro que tenho de apanhar a seguir, apanhei o último autocarro que me leva até à escola a 5 minutos de entrar para a primeira aula e já não tive tempo de almoçar sequer!

 

Conclusão: Fui ao refeitório a correr buscar um garfo e um guardanapo e, enquanto os meus pequenitos ensaiavam a canção que vão apresentar no final do ano, eu ia engolindo garfadas de comida, fazendo gestos da coreografia e a tentar cantar também!

 

Agora digam-me lá… o mundo estava ou não estava contra mim hoje?{#emotions_dlg.sidemouth}